terça-feira, 2 de agosto de 2016

A tal hora certa das coisas








  Sim, somos movidos por expectativas e esperanças. Impomos a nós mesmos a palavra PACIÊNCIA, para que ela encontre com o TEMPO, e juntas decidam dar um rumo diferente a nossa história. Às vezes se torna difícil até mesmo pedir algo a Deus, como se fosse feio pedir certas coisas. E ai se volta ao ponto do saber esperar, afinal de contas sabemos que a tal da HORA CERTA das coisas sempre chega. Mas, a verdade é que este é o ditado mais correto: “As coisas acontecem em nossas vidas no momento em que devem acontecer”. E não adianta querer acelerar as coisas, porque elas simplesmente não acontecerão. 

  Certo dia escrevi que na vida não devemos acelerar os passos, pois essa atitude pode dificultar que alguém consiga me acompanhar. Escrevi que também devemos evitar atalhos, porque podemos deixar alguém pra trás, que estava em outro caminho (talvez o certo), só a nossa espera para viver grandes momentos. Neste mesmo momento de pura sapiência, percebi que o ideal é deixar que o relógio siga o seu compasso, que não vai adiantar correr, que o que é para mim chegará. Que a vida deve ser levada com calma, onde cada passo se torne um momento de aprendizado. Afinal de contas, o apressado não contempla as maravilhas da vida, e ele se esquece que na tensão do dia, se deixa de lado o prazer de ser um pouco distraído. É, acho que estava certa ao deduzir que quando eu decido parar um pouco, sou capaz de perceber e aprender o quanto ainda posso andar. 
 Por isso entendam a lentidão do meu caminhar e esse meu jeito de sempre olhar para os lados para descobrir o que/quem a vida me tem reservado. Isso é só uma resposta digna ao desejo quase louco de querer VIVER!!!!

4 comentários:

  1. Nossa, Vivi. Era o que eu estava precisando ler. <3

    ResponderExcluir
  2. Ooownn... eh muito discernimento e "saber viver" em uma pessoa só! Ah... e sobre o texto?!... apenas brilhante, só mais uma vez!

    ResponderExcluir
  3. Acho que eu não sou a única que já leu esse texto umas 15 vezes

    ResponderExcluir