quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Por uma vida com menos julgamentos!



Resultado de imagem para julgue mesmo


  Inicio o texto dessa semana fazendo uma proposta: Que tal julgar menos e fazer o seu?!! Quase a típica e um tanto grosseira frase “cuide da sua vida”. Pois é, acredito que tudo seja uma questão do quanto você dá importância a certas coisas e desvaloriza outras (geralmente quando não são do seu agrado e interesse), e para essas que você não gosta descarrega todo o seu ódio. Ai fica a pergunta: Qual a necessidade disso?
   Já ouviu falar na palavra Gosto? Pois é, ele se discute sim, mas acima de tudo, ele deve ser respeitado. O que é ruim para você é ótimo para alguém, e ponto. Não há o que questionar.
  Mas o problema é o que vemos diariamente estampado nas manchetes de jornais, nas coberturas de TV e nas redes sociais. Cada dia mais a intolerância toma mais espaço entre as relações sociais. Viramos uma sociedade racista, intolerante e hipócrita.
   Sim, a hipocrisia é o que domina por aqui. Vamos aos exemplos, a pessoa usa carteira falsa de estudante, mas critica quem fura a fila, o sujeito condena quem joga Pokémon, mas está na fase 237 do Candy crush, o outro sonega um carro no Imposto de Renda, mas se acha no direito de criticar um rico que sonegou uma casa em uma ilha. Realmente tudo é questão de proporções e o quanto se está envolvido.
   Não estou querendo vender a ideia de que não devemos falar sobre os erros humanos, ou criticar mesmo certas atitudes. Mas que tal pensarmos mais na forma como o fazemos, ou analisarmos melhor os nossos atos? Dia desses vi uma reportagem sobre a situação de funcionários públicos reclamando sobre a situação precária de trabalho, perdendo direitos, diminuição salarial. Uma tristeza realmente. Porém, o inusitado da reportagem foi ver alguém dizendo que isso era uma violência contra o funcionalismo. E de repente, eis que surgem dezenas deles jogando cones, latas e xingamentos contra um repórter que ali estava fazendo o seu trabalho. E ai? Não é violência também? São sobre essas atitudes que estou me referindo, a ideia do “sujo falando do mal lavado”, reclamar daquilo que também se faz. Condenar alguém em algo que você também pratica. Dessa forma, o julgamento tornou-se algo presente e constante em nossas vidas.

   E sinceramente, cansa. Cansa ver os discursos de ódio, cansa o desrespeito, cansa saber a quantidade de gente incomodada com a sexualidade alheia, com a roupa que veste, com a cor do cabelo. Mesmo diante de tudo isso, estou preferindo ainda ter esperanças de que a humanidade um dia melhore, em que não verei tanto mimimi nas redes com essa gente que acha que tem rios de coisas para fazer, mas que se ocupa em escrever textões condenando o gosto dos outros, enchendo a minha timeline. Prefiro ter esperanças de uma vida com menos hipocrisia e mais liberdade, com gente que se respeita e se aceita.

Nenhum comentário:

Postar um comentário