terça-feira, 28 de julho de 2020

Não espere a vida passar enquanto encara a tela do celular

Era ele ou eu” – Aspas e Vírgulas
Imagem: Reprodução

O que vem acontecendo em nossas vidas nesses últimos meses não é mais novidade. Estamos enfrentando uma pandemia que nem sabemos as proporções que ainda vai atingir. Cada dia é uma luta, uma tensão, e muitas dúvidas. Certamente aquele ano de 2019 que muitos reclamaram deve observar esse de 2020 e dizer: ‘Olhae, eu disse que ainda poderia piorar’.

Bem, não venho tratar de uma visão pessimista das coisas. Longe de mim. Muito pelo contrário, venho propor uma coisa. Pare um pouco (tudo bem, eu sei que é isso que você tem feito praticamente durante todo esses últimos meses), mas responde aí a seguinte pergunta: Você já parou para pensar em como você explicará o ano de 2020?

Para muitos, a resposta será algo como: ‘Foi o ano em que vivi da sala para o quarto, do sofá para a cama, vendo todas as séries, reprises e me debruçando em meu celular. Nunca fui tão sociável’. Para outros, estamos sendo peças de uma história que em nada somos os protagonistas. Porém, a forma como a estamos enfrentando é que irá documentar tudo isso para o resto de nossas vidas.

Dias desses li a seguinte postagem no Twitter: “Eu não aguento mais não aguentar mais, e mesmo assim continuar aguentando sem previsão de deixar de aguentar mais”(@rauqmp3). Confuso? Talvez! Mas é justamente assim que temos nos sentido nesses meses. E tem dias que nos sentimos ainda mais exaustos.

Quantos já me disseram que não aguentam mais ver séries, ler livros, participar de reuniões por vídeo conferência? Muitos!!! Quantos estão enfrentando o desejo frenético de furar a quarentena e socializar de verdade? Outros tantos. Porém, muitas outras pessoas aproveitaram esse momento para se reinventar, buscar novos sonhos, ou voltar a pensar naqueles que já existiam. Algumas pessoas buscaram o autoconhecimento, se dedicaram a novos projetos, descobriram novas habilidades, deram mais atenção aos familiares e amigos, e há quem até tenha reconhecido em alguém um amor. Eu sei, a vida parece que deu uma pausa, mas você não precisa enfrentar esse momento apenas encarando a tela do seu celular.

Esse tempo não deve ser enfrentado com desesperança. O futuro ainda está sendo construído com o que estamos fazendo agora, nesse momento presente. Essa pausa que parecemos enfrentar não será inútil. Nossos hábitos mudaram, talvez permanentemente. Talvez tenhamos que enfrentar o que chamamos de um novo normal, e provavelmente não voltaremos aquilo que considerávamos habitual.

É preciso que encaremos tudo de frente, este ano não está perdido, e cada minuto de tudo que estamos vivendo servirá para a formação de quem seremos lá na frente. Por isso, lembre-se, somos resilientes, nos adaptamos, e somos capazes de superar mais esse momento difícil. As coisas existem ao nosso redor da forma como conhecemos por causa da maneira que a enfrentamos e interpretamos. Então, a escolha é sua, você vai querer passar pela vida encarando-a de forma pessimista, vai deixar que ela simplesmente passe por você, ou vai decidir tomar as rédeas se autorremodelando para se encaixar melhor com as peças que elas nos dá?

Um comentário:

  1. Melhor blog! Sempre que leio, encontro muitas respostas. Parabéns a autora dos textos.

    ResponderExcluir