quarta-feira, 26 de agosto de 2020

Cresça, reconhecendo-se fraco

 

Frases sobre Fraqueza. É preciso ter força!

        Imagem: Reprodução


Opa! Sei que isso soa estranho, mas posso explicar. Todos os dias travamos lutas em prol de nosso crescimento. Buscamos novos horizontes, novas conquistas, traçamos nossos planos. Mas às vezes esquecemos de traçar um caminho para cada uma dessas coisas que buscamos. E esquecemos que nesse caminho é preciso considerar algo bem importante: as nossas fraquezas. 

Considerar, ou melhor, reconhecer que em alguns pontos somos fracos não é sinal de que somos incapazes de algo. E sim, de que temos ciência de nossas limitações, mas que as reconhecendo somos capazes de planejar rotas eficientes para vencê-las. 

Eu sei que é bem mais fácil conhecermos os nossos pontos fortes, pois eles saltam aos nossos olhos, para que tenhamos do que nos orgulhar. E acredito até, que essa seja uma busca constante de muitas pessoas, afinal de contas a nossa sociedade cultua a perfeição. E dessa forma, nos "obriga" a ocultar ou reprimir nossos defeitos, nossas falhas. 

Mas olha só que coisa incrível (leia com ironia) tenho para informar: Todo mundo tem partes fracas e desagradáveis e é fundamental conhecê-las e aprender a lidar com elas. Lembra daquela frase "Conhece-te a ti mesmo?". Então, esse aforismo nos remete também à busca por reconhecermos nossas fraquezas, e a partir disso sabermos lidar com elas, e assim, crescermos, conquistarmos o mundo. 

Quantas vezes precisei parar e reconhecer minhas limitações para que pudesse continuar em alguns projetos. E em outras situações, esses pontos fracos foram importantes para que eu pudesse seguir adiante ou traçar novos planos. E em tantas outras situações, reconhecendo-me fraca, simplesmente pedi ajuda.

Então, comece a fazer isso. Pense em cada plano e veja quais suas potencialidades em realizá-lo. Mas não esqueça de lembrar do que em você poderia se tornar um empecilho. Reconhecendo suas limitações serás capaz de vencer. Lembrando sempre que não há nenhuma alteração em nossa vida sem passarmos pelo reconhecimento das nossas fraquezas.


sábado, 15 de agosto de 2020

Eu escolho a felicidade

 Bora ser feliz?. Eu escolho ser feliz! | by Tali Cicero | Medium   
Imagem: Reprodução

Me peguei nesses dias pensando, que tempo louco que estamos vivendo! Eu sei que estou falando o óbvio, mas é que quero chegar em um ponto específico de tudo o que estamos passando. 

 

Para muitos, esse período tem sido dolorido, às vezes mais do que pensaram que poderiam suportar. Estar isolado, estar só, não compartilhar coisas, e como dizemos com frequência hoje, não estarmos aglomerando, vai de encontro à nossa natureza. Somos do estar juntos, do abraçar, do sentir. E a ausência disso tem sido extremamente difícil. 

 

Porém, é um momento também de pisarmos no freio, desacelerar um pouco e refletir sobre alguns setores da nossa vida, que por muitas vezes ficaram ali parados, pois estávamos ocupados demais com o ritmo corrido do nosso dia a dia. 

 

É momento, mesmo depois de tantos meses já passados, de pensarmos no que ainda estamos falhando conosco. O que de mim eu perdi no meio do caminho? Ainda posso recuperar? O que posso fazer por mim? O que deixei de lado por achar que não era mais tempo?

 

São em momentos como esse que estamos enfrentando que devemos, leiam bem, DEVEMOS fazer uso do que significa a palavra resiliência. Nos reinventarmos, criarmos novos caminhos, nos reerguermos, procurarmos novas formas de felicidade. Alguns meses já se foram, mas ainda há muito caminho a se trilhar.

 

Não é tempo de decidirmos piorar ainda mais a nossa reclusão, nos isolando até de nós mesmos. É hora de em tudo ser positivo e enxergar felicidade. Você já parou para pensar em quantas coisas boas também aconteceram nesse período? Quantas coisas você voltou a fazer, quantos sonhos voltou a sonhar, e histórias planejar?

 

A vida é sempre repleta de altos e baixos, idas e vindas, perdas e ganhos. Mas a decisão por qual local estar e em que lado se segurar é totalmente sua. Quanto a mim? Eu escolho sempre a felicidade!!!

 

terça-feira, 4 de agosto de 2020

A reciprocidade nas relações

Reciprocidade assimétrica: um obstáculo nas relações humanas
Imagem: Reprodução


Muitas vezes, quando fazemos algo pelas pessoas e não somos reconhecidos ficamos tão injuriados, que só pensamos naquela atitude como um ato de ingratidão. Nossas gentilezas e favores, por mais simples que sejam, parecem que esperam um reconhecimento, um agradecimento.

Mas na verdade isso tem um nome, o que esperamos das pessoas é algo chamado de reciprocidade. Nós gostamos de receber algo em troca daquilo que fazemos, é normal, é humano. Sei que você vai pensar que não é assim para todo mundo. Concordo, e acho bacana quando vejo que alguém faz o bem sem realmente esperar nada daquilo. Mas não condeno quem o faz e espera nem que seja um obrigado.

Várias atitudes da nossa vida cotidiana exigem essa reciprocidade. A gente acena para alguém esperando que ela retorne o aceno, a gente sorri esperando um sorriso, a gente ama esperando ser amado. Reciprocidade é isso, ações simples que demonstram que estamos na mesma ‘vibe’, que queremos corresponder àquilo que nos foi dado, é característica essencial das relações.

Eu sei o quanto é difícil gostar de alguém e não receber o mesmo sentimento de volta, é frustrante, chega a doer. Mas também sei o quanto é bom quando você demonstra um sentimento e percebe que aquilo é recíproco. Nos faz bem, nos traz alegria.

Assim é a reciprocidade, algo benéfico, que cria entre as pessoas uma conexão, fazendo com que as relações sejam guiadas pela bondade, pelo respeito e pelo desejo de estar cada dia em mais sintonia.

Porém, tenha cuidado com uma coisa: Reciprocidade não é igualdade. Igualdade é quando temos a mesma medida, as mesmas obrigações e a mesma intensidade de sentimentos. E a reciprocidade está longe da obrigação em algo. Se alguém lhe dá um presente grandioso não significa dizer que você também terá que fazer algo genuíno, e não o fazer não quer dizer que você não seja grato, ou que não conseguirá ser recíproco. A reciprocidade está na qualidade dos sentimentos demonstrados, muito mais do que na quantidade daquilo que você doa.

Ou seja, a reciprocidade está na medida em que conseguimos identificar que ali há cuidado, carinho, atenção, e assim, somos instigados, a de maneira recíproca, devolver esse bem com comportamentos que façam o outro feliz, sem que nos preocupemos com a quantidade de gestos que fazemos, e sim com a qualidade dos sentimentos que ofertamos.