terça-feira, 4 de agosto de 2020

A reciprocidade nas relações

Reciprocidade assimétrica: um obstáculo nas relações humanas
Imagem: Reprodução


Muitas vezes, quando fazemos algo pelas pessoas e não somos reconhecidos ficamos tão injuriados, que só pensamos naquela atitude como um ato de ingratidão. Nossas gentilezas e favores, por mais simples que sejam, parecem que esperam um reconhecimento, um agradecimento.

Mas na verdade isso tem um nome, o que esperamos das pessoas é algo chamado de reciprocidade. Nós gostamos de receber algo em troca daquilo que fazemos, é normal, é humano. Sei que você vai pensar que não é assim para todo mundo. Concordo, e acho bacana quando vejo que alguém faz o bem sem realmente esperar nada daquilo. Mas não condeno quem o faz e espera nem que seja um obrigado.

Várias atitudes da nossa vida cotidiana exigem essa reciprocidade. A gente acena para alguém esperando que ela retorne o aceno, a gente sorri esperando um sorriso, a gente ama esperando ser amado. Reciprocidade é isso, ações simples que demonstram que estamos na mesma ‘vibe’, que queremos corresponder àquilo que nos foi dado, é característica essencial das relações.

Eu sei o quanto é difícil gostar de alguém e não receber o mesmo sentimento de volta, é frustrante, chega a doer. Mas também sei o quanto é bom quando você demonstra um sentimento e percebe que aquilo é recíproco. Nos faz bem, nos traz alegria.

Assim é a reciprocidade, algo benéfico, que cria entre as pessoas uma conexão, fazendo com que as relações sejam guiadas pela bondade, pelo respeito e pelo desejo de estar cada dia em mais sintonia.

Porém, tenha cuidado com uma coisa: Reciprocidade não é igualdade. Igualdade é quando temos a mesma medida, as mesmas obrigações e a mesma intensidade de sentimentos. E a reciprocidade está longe da obrigação em algo. Se alguém lhe dá um presente grandioso não significa dizer que você também terá que fazer algo genuíno, e não o fazer não quer dizer que você não seja grato, ou que não conseguirá ser recíproco. A reciprocidade está na qualidade dos sentimentos demonstrados, muito mais do que na quantidade daquilo que você doa.

Ou seja, a reciprocidade está na medida em que conseguimos identificar que ali há cuidado, carinho, atenção, e assim, somos instigados, a de maneira recíproca, devolver esse bem com comportamentos que façam o outro feliz, sem que nos preocupemos com a quantidade de gestos que fazemos, e sim com a qualidade dos sentimentos que ofertamos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário